OECD LAC Productivity Summit

Os horários das sessões indicam a hora local do seu computador.  Baixe a agenda completa em ENG.

Day

1 : 22 de junho de 2022
21:00 - 21:55
Welcoming Ministerial and Family Photo
Recepção fechada para autoridades de alto nível da LAC Productivity Ministerial and Education Ministerial. O horário do evento é no horário brasileiro das 18h00 às 20h00 BSB

Day

2 : 23 de junho de 2022
11:00 - 12:00
Registro e café de boas-vindas
Para participantes presenciais, os detalhes de inscrição estão por vir.
12:00 - 15:45
Sessões públicas
12:00 - 13:00
Apertura: Cuarta Cumbre Ministerial sobre Productividad - Hacia una integración productiva, humana y sostenible en la economía mundial. (ES)
Sarquis JoséBuainain Sarquis (Brazil)MathiasCormann (OECD)PauloGuedes (Brazil)José CarlosOliveira (Brazil)
12:00 - 13:00
Opening: Towards a productive, human-centred and sustainable integration of Latin America and the Caribbean in the world economy (EN)
Sarquis JoséBuainain Sarquis (Brazil)MathiasCormann (OECD)PauloGuedes (Brazil)José CarlosOliveira (Brazil)
12:00 - 13:00
Abertura: Quarta Cúpula Ministerial sobre Produtividade - Por uma integração na economia mundial produtiva, sustentável e com foco nas pessoas (PT)
Sarquis JoséBuainain Sarquis (Brazil)MathiasCormann (OECD)PauloGuedes (Brazil)José CarlosOliveira (Brazil)
13:00 - 14:15
Sesión 1: Estrategias eficaces para integrar a ALC en las cadenas de valor regionales y mundiales (ES)
Más allá del enorme impacto humano y sanitario del COVID-19, la pandemia ha golpeado el núcleo de las regiones centrales de las cadenas de valor mundiales, como China y el Sudeste Asiático, Europa y Estados Unidos, con importantes consecuencias económicas. Todavía es pronto para evaluar el impacto total de la crisis a largo plazo, sin duda, las economías mejor integradas y más diversificadas tendrán mayor capacidad de adaptación e integración a las cadenas de valor regionales y globales. El comercio internacional ha sido un poderoso motor de crecimiento y mejora de los niveles de vida de los países. Sin embargo, la región de América Latina y el Caribe no ha cosechado hasta ahora todos los beneficios que puede ofrecer la integración en la economía mundial.
AnabelGonzález (WTO)Jorge EnriqueGonzález Garnica (Colombia)GustavoMontezano (Brazilian Development Bank)AndreasSchaal (OECD)JoséSerrador (Embraer)ManuelTovar (Costa Rica)UlrikVestergaard Knudsen (OECD)IgnacioYbáñez (European Union)
13:00 - 14:15
Session 1: Resilience in a new international context: what place for LAC in global value chains? (EN)
Beyond the huge human and health impact of COVID-19, the pandemic has struck at the core of global value chains hub regions, including China and Southeast Asia, Europe and the US, with major economic consequences. The war in Ukraine has further disrupted global value chains in key sectors and is reconfiguring trade patterns. It is still early to evaluate the full impact of these two major events in the long run, but it is certain that better integrated and more diversified economies will have greater capacity to adapt and integrate into regional and global value chains. International trade has been a powerful engine of growth and improvement in living standards across countries. Nonetheless, the Latin American and Caribbean region has so far not fully reaped the benefits that integrating into the world economy can offer.
AnabelGonzález (WTO)Jorge EnriqueGonzález Garnica (Colombia)GustavoMontezano (Brazilian Development Bank)AndreasSchaal (OECD)JoséSerrador (Embraer)ManuelTovar (Costa Rica)UlrikVestergaard Knudsen (OECD)IgnacioYbáñez (European Union)
13:00 - 14:15
Sessão 1: Resiliência em um novo contexto internacional: que lugar para a ALC nas cadeias de valor globais? (PT)
Além do enorme impacto humano e sanitário da COVID-19, a pandemia atingiu as regiões centrais das cadeias de valor globais, incluindo a China e o sudeste asiático, a Europa e os EUA, com grandes conseqüências econômicas. A guerra na Ucrânia perturbou ainda mais as cadeias de valor em setores-chave e está reconfigurando os padrões de comércio. Ainda é cedo para avaliar o impacto total desses dois grandes eventos no longo prazo, mas é certo que economias mais integradas e mais diversificadas terão maior capacidade de adaptação e integração nas cadeias de valor regionais e globais. O comércio internacional tem sido um poderoso motor de crescimento e melhoria dos padrões de vida em todos os países. No entanto, a região da América Latina e do Caribe ainda não colheu plenamente os benefícios que a integração na economia mundial pode oferecer.
AnabelGonzález (WTO)Jorge EnriqueGonzález Garnica (Colombia)GustavoMontezano (Brazilian Development Bank)AndreasSchaal (OECD)JoséSerrador (Embraer)ManuelTovar (Costa Rica)UlrikVestergaard Knudsen (OECD)IgnacioYbáñez (European Union)
14:30 - 14:45
Coffee break
14:30 - 15:45
Sesión 2: Hacia una recuperación sólida, inclusiva y sostenible en América Latina (ES)
La disminución prevista de la población laboral hará que la productividad sea un motor aún más importante para el crecimiento económico. Las políticas de educación y formación se convertirán en la clave para garantizar que las personas adquieran las competencias adecuadas para contribuir a la sociedad. Los principales retos son hacer que las instituciones educativas respondan mejor a las nuevas necesidades del mercado laboral y ofrecer más oportunidades de perfeccionamiento y recualificación a los trabajadores. Sin embargo, las políticas de desarrollo de competencias sólo lograrán los aumentos de productividad deseados si van acompañadas de acciones simultáneas para impulsar el uso efectivo de las competencias. La utilización efectiva de las competencias en los lugares de trabajo mediante la aplicación de prácticas organizativas y de gestión innovadoras se basa en los beneficios de la participación laboral y contribuye a mejorar la innovación empresarial, la satisfacción y el rendimiento laboral de los empleados y la productividad. En esta sesión se debatirán los retos y las oportunidades para desarrollar y utilizar eficazmente las competencias en América Latina y el Caribe, así como las políticas para facilitar la adopción de prácticas innovadoras en el lugar de trabajo.
JorgeArbache (CAF)FernandaCarvalho (WWF International)MarioCastillo (ELAC)RagnheiðurElín Árnadóttir (OECD Development Centre)RodolfoLacy (OECD)OscarLlamosas (Paraguay)
14:30 - 15:45
Session 2: Making the recovery strong, inclusive and sustainable (EN)
Building on the last edition of the annual OECD Latin American Economic Outlook, this session will focus on the policy actions to improve social protection mechanisms and increase social inclusion, foster regional integration and strengthen industrial strategies, and rethink the social contract to restore trust and empower citizens at all stages of the policy-making process. Moreover, it will highlight the need to promote sustainable and adapted macro-economic frameworks to finance the recovery, as well as the importance of renewing international co-operation to support these policy actions in the current challenging global context.
JorgeArbache (CAF)FernandaCarvalho (WWF International)MarioCastillo (ELAC)RagnheiðurElín Árnadóttir (OECD Development Centre)RodolfoLacy (OECD)OscarLlamosas (Paraguay)
14:30 - 15:45
Sessão 2: Rumo a uma recuperação forte, inclusiva e sustentável na América Latina (PT)
Com base na última edição das Perspectivas Econômicas da OCDE para a América Latina, esta sessão se concentrará nas ações políticas para melhorar os mecanismos de proteção social e aumentar a inclusão social, promover a integração regional e fortalecer as estratégias industriais, e repensar o contrato social para restaurar a confiança e capacitar os cidadãos em todas as etapas do processo de elaboração de políticas. Além disso, destacará a necessidade de promover estruturas macroeconômicas sustentáveis e adaptadas para financiar a recuperação, bem como a importância de renovar a cooperação internacional para apoiar estas ações políticas no atual contexto global desafiador.
JorgeArbache (CAF)FernandaCarvalho (WWF International)MarioCastillo (ELAC)RagnheiðurElín Árnadóttir (OECD Development Centre)RodolfoLacy (OECD)OscarLlamosas (Paraguay)
15:45 - 17:00
Pausa para almoço
Um almoço de pé será oferecido a todos os participantes
17:00 - 21:00
Sessões ministeriais (Sessões fechadas)
17:00 - 18:15
Sessão Ministerial 1 - Adaptando as economias da ALC a um novo contexto de comércio internacional
A transformação estrutural causada pelo comércio internacional, ou as reformas comerciais que abrem setores à concorrência estrangeira, são desejáveis para a economia agregada, pois fortalecem a produtividade e reduzem as alocações ineficientes, que muitas vezes estão por trás do crescimento estagnado da produtividade ou dos desafios de competitividade. Ao mesmo tempo, tais transformações deslocam empregos entre empresas, setores e regiões, criando desafios para os trabalhadores. Neste contexto, pacotes de políticas bem concebidos podem contribuir muito para apoiar os trabalhadores na transição e ajudá-los a agarrar novas oportunidades. Esta sessão irá apresentar uma visão geral da literatura existente sobre políticas de adaptação comercial, delineando alguns princípios orientadores que podem ajudar a moldar a concepção de tais políticas, e discutindo e compartilhando as lições aprendidas de experiências passadas. As políticas devem fornecer apoio ativo aos trabalhadores sob a forma de pacotes de políticas inteligentes e bem concebidos, sem impedir os ajustes necessários. A concepção dessas políticas pode ser um desafio, mas as lições da experiência internacional podem ajudar em sua concepção.
JensArnold (OECD)Sarquis JoséBuainain Sarquis (Brazil)GlendaLustosa (Brazil)IgnacioYbáñez (European Union)
18:15 - 19:30
Sessão Ministerial 2: Mesa redonda - O lado humano da produtividade: a contribuição da força de trabalho, da administração e da organização empresarial
Os dados da OCDE documentam que as habilidades e a diversidade da força de trabalho e dos gerentes - o lado humano das empresas - representam, em média, cerca de um terço da brecha de produtividade do trabalho entre as empresas na "fronteira" de produtividade (os 10% mais altos dentro de cada indústria detalhada) e as empresas com desempenho médio no percentil 40-60 da distribuição da produtividade. A composição das competências, especialmente a parcela de altas competências, varia mais ao longo da distribuição da produtividade, mas os funcionários com baixo e médio desempenho compõem uma parcela substancial da força de trabalho, mesmo na fronteira. Levando em consideração o contexto da ALC, com altos níveis de informalidade, esta sessão discutirá políticas públicas que podem facilitar a recuperação de empresas abaixo da fronteira através de habilidades e diversidade, cobrindo uma ampla gama de áreas que exercem sua influência através da oferta, atualização e correspondência entre empresas de habilidades e outros fatores humanos.
Luizde Mello (OECD)RagnheiðurElín Árnadóttir (OECD Development Centre)GonzaloKoncke (OAS)José CarlosOliveira (Brazil)AnnePosthuma (ILO/CINTERFOR)
19:45 - 21:00
Sessão Ministerial 3: Mesa Redonda - Melhorando o uso de habilidades para aumentar a produtividade
O declínio projetado da população em idade de trabalho fará da produtividade um motor ainda mais importante do crescimento econômico. As políticas de educação e treinamento se tornarão fundamentais para garantir que as pessoas adquiram as habilidades corretas para contribuir com as sociedades. Os principais desafios incluem tornar as instituições de educação mais responsivas às necessidades emergentes do mercado de trabalho e oferecer mais oportunidades de atualização e requalificação para os trabalhadores. Entretanto, as políticas de desenvolvimento de habilidades só atingirão os ganhos de produtividade desejados se forem acompanhadas de ações simultâneas para impulsionar o uso eficaz das habilidades. A utilização eficaz das habilidades nos locais de trabalho através da implementação de práticas organizacionais e gerenciais inovadoras se baseia nos benefícios de participação no trabalho e ajuda a melhorar a inovação empresarial, a satisfação e o desempenho do trabalho dos funcionários e a produtividade. Esta sessão discutirá os desafios e oportunidades para desenvolver e colocar as habilidades em uso efetivo na América Latina e no Caribe, assim como as políticas para facilitar a adoção de práticas inovadoras no local de trabalho.
El Iza Mohamedou (OECD)Tomás Dias Sant’Ana (Brazil)LucasFerreira Mation (IPEA— Institute of Applied Economic Research)Jorge EnriqueGonzález Garnica (Colombia)BenignoLópez (IDB)LuisScasso (Argentina)

Day

3 : 24 de junho de 2022
12:00 - 12:15
Abertura: Destaques do trabalho da GFP e dos últimos resultados das análises
TiagoBrocardo Machado (VIVO)CarlosCozendey (Brazil)FalilouFall (OECD)WilliamMaloney (Chief Economist for LAC)Bruno Monteiro Portela (Brazil)PauloPuppin Zandonadi (SEBRAE)José GustavoSampaio Gontijo (Brazil MCTI)
12:15 - 13:00
Keynote Speech
13:00 - 13:15
Coffee Break
13:15 - 14:25
Painel de Discussão - Produtividade no mundo pósCOVID: atualizando o capital humano e adaptação ao teletrabalho
O teletrabalho tem sido essencial para muitas empresas e trabalhadores para manter a produção durante a crise da COVID-19, e pode aumentar a produtividade também em tempos normais. Entretanto, a capacidade de usar eficazmente as ferramentas digitais para o trabalho remoto depende crucialmente das habilidades digitais do trabalhador, que variam não apenas com os níveis de educação do trabalhador, mas também por sexo e idade. O aproveitamento dos benefícios que o trabalho remoto pode oferecer depende, portanto, de forma crítica da atualização do capital humano dos trabalhadores, e especialmente dos grupos que ficam para trás. No lado da empresa, as grandes empresas tendem a usar mais as tecnologias digitais do que as menores. Dada a importância das PMEs para as economias latino-americanas, a atualização digital das empresas menores tem assim o potencial de aumentar a adoção de ferramentas digitais, incluindo o teletrabalho, e preparar o setor empresarial para a transição digital.
AlonsoAlfaro-Ureña (Banco Central de Costa Rica)JorgeArbache (CAF)Luis FelipeBatista de Oliveira (Brazil)TiagoBrocardo Machado (VIVO)RafaelLucchesi (SENAI)
14:25 - 15:30
Painel de Discussão - Impulsionar a inovação verde e digital de start-ups
As start-ups inovadoras podem desempenhar um papel importante na abordagem dos desafios trazidos pelas transições verde e digital, desenvolvendo tecnologias radicalmente novas e introduzindo novos produtos e serviços com baixo teor de carbono. Trabalhos recentes da OCDE sugerem que as novas empresas verdes também podem ser mais inovadoras e ter um potencial de crescimento maior do que outras novas empresas. Como as novas empresas que trabalham com tecnologias verdes podem desenvolver bens ou serviços para mercados que ainda não existem, há espaço para que os governos ajudem a desenvolver modelos comerciais sustentáveis que integrem a criação de valor social e/ou ambiental com as atividades comerciais. Compreender o papel que as políticas podem desempenhar para incentivar a expansão de novas empresas verdes e digitais é uma ferramenta importante para que os países naveguem nessas grandes transições.
MassimoMeloni (UNCTAD)Bruno Monteiro Portela (Brazil)DirkPILAT (OECD)
15:30 - 16:00
Conclusão Ministerial
Jose AntonioARDAVIN (OECD)Sarquis JoséBuainain Sarquis (Brazil)
17:00 - 21:00
Reunião do Grupo Diretivo do Programa Regional da OCDE para a América Latina e o Caribe (PRALC)